segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Está Contente Senhor Presidente ?

         




ESTÁ CONTENTE SR. PRESIDENTE????

Na cerimónia de comemoração do 5 de Outubro (data que estes biltres
pretendem sonegar) deste ano da desgraça de 2012, ocorrida, por medo
do Povo e a despeito de uma manhã esplendorosa, não na Praça, mas em
recinto fechado, no Pátio da Galé a que nos acorrentaram e em que,
como forçados, remamos sem saber para onde, o Senhor Presidente da
República começou por hastear a Bandeira de modo consentâneo com o
estado do País, de pernas para o ar. Depois houve canto lírico de
protesto numa iniciativa que só não foi travada porque, dada a sua
elegância e maviosidade, terá sido confundida com um acto protocolar
e, por fim, uma mulher de meia-idade (certamente uma “cigarra”)
irrompeu aos gritos de desespero e raiva e foi manietada e expulsa
pela segurança. De pouco valeu terem-se posto a recato, a voz irada da
Nação fez-se ouvir naquilo que poderá ser apenas mais um prenúncio.
Têm bastas razões para temer.
É caso para perguntar ao homem que hasteou a Bandeira ao contrário se
está contente?
Está contente, Senhor Presidente, pelo estado a que o senhor, enquanto
chefe de governo, também deixou chegar o País?
Está contente por ter desmantelado a Indústria Pesada e Transformadora?
Está contente por ter abandonado a Agricultura a as Pescas?
Está contente por ter encerrado a Marinha Mercante e a Construção e
Reparação Navais?
Está contente por ter arruinado a Ferrovia em detrimento de uma
insustentável e redundante rede rodoviária que agora nos custa os
“olhos da cara” para encher os beneficiários das tais PPPs?
Está contente com o destino do dinheiro para a Formação, vindo do
Fundo Social Europeu, consumido em parasitismo e inutilidades?
Está contente com os jipes (então conhecidos por “IFADAPs”) e as
moradias com piscina que os chicos-espertos deste País compraram e
mandaram fazer com os fundos desviados de “sacos” então aparentemente
sem fundo?
Está contente por ter pactuado com os Bancos na “bolha imobiliária”
que amarrou as famílias portuguesas às casas que lhes ficam a pagar
uma vida inteira e que, após anos de “festa”, vêem agora desvalorizar
a pique?
Está contente com a camarilha de arrivistas que criou e alimentou até
darem em “banksters” e trafulhas polivalentes?
Está contente com a “economia moderna” de “clusters” e “serviços”
(quer dizer bandeja e “call centers” ) que os seus “gurus” modernaços
andaram a vender e a “implementar”, destruindo as bases da economia
real?
Está contente por enquanto “homem do leme” ter levado a “galé” ao naufrágio?
Parabéns Senhor Presidente, Vossa Excelência é um homem de “rasgo”!

António José Ferreira


Abraham Lincoln: "Pode-se enganar algumas pessoas todo o tempo; Pode-se enganar todas as pessoas algum tempo; Mas não se pode enganar todas as pessoas o tempo todo. 


"ALMADA NEGREIROS – “Portugal inteiro há-de abrir os olhos
um dia – se é que a sua cegueira não é incurável – e então
gritará comigo, a meu lado, a necessidade que Portugal tem de
ser qualquer coisa de asseado”.


Limites servem para ser ultrapassados.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Dívida Sobe como no Tempo de Sócrates

                               


Dívida da 'troika' e de Sócrates sobem ao mesmo ritmo
Dívida do Estado cresceu 30 mil milhões de euros desde a intervenção externa, uma subida semelhante ao último ano e meio de Sócrates. Endividamento vai continuar em alta em 2013 e um perdão parcial teria vantagens, antecipam os analistas ouvidos pelo SOL.

Um ano e meio após o início da intervenção da troika em Portugal, a dívida do Estado continua a crescer a um ritmo semelhante ao dos últimos 18 meses do Governo de José Sócrates.
Segundo dados do IGCP (agora denominada Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública), a dívida directa do Estado subiu português 18,2% desde a entrada do Fundo Monetário Internacional (FMI), da Comissão Europeia (CE) e do Banco Central Europeu (BCE) no país.
Entre Junho de 2011 e Novembro deste ano, a dívida directa do Estado cresceu na ordem dos 30 mil milhões de euros, passando de 164,3 para 193,5 mil milhões de euros. Este aumento é quase equivalente ao registado no último ano e meio da governação socialista. Entre Novembro de 2009 e Junho de 2011, a dívida do Estado aumentou 24% passando de 130,2 para 164,3 mil milhões de euros – uma subida também na casa dos 30 mil milhões de euros, mostram os dados do IGCP.
Défices ‘alimentam’ subidasA política de austeridade e as medidas para controlar a dívida pública introduzidas pela troika não conseguiram, afinal, inverter a tendência da recta final do Executivo de Sócrates – um período marcado por emissões de dívida sucessivas para evitar o resgate financeiro, em que já tinham ‘caído’ a Grécia e a Irlanda. Os contínuos défices orçamentais do Estado têm obrigado o país a endividar-se para ‘tapar’ a diferença entre as receitas e as despesas.
Os analistas contactados pelo SOL são unânimes em considerar que a trajectória da dívida em 2013 deverá manter-se em sentido ascendente e ultrapassar a barreira dos 200 mil milhões de euros. A subida do endividamento do Estado poderá mesmo ser maior do que o esperado pelo actual Governo, uma vez que o objectivo para a execução orçamental do próximo ano não deverá provavelmente ser alcançado, antecipa Albino Oliveira, analista da Fincor, em declarações ao SOL.
A redução da dívida pública é um dos três pilares do programa de assistência da troika, mas até agora tem sido o que menos sucesso tem tido. Em cada visita ao país, os credores externos têm sido obrigados a rever em alta a evolução e os montantes da dívida pública nacional.
Desvio de 20 mil milhões
Quando desenharam o programa para Portugal, em meados de 2011, a troika estimou uma dívida pública de 182 mil milhões de euros para o final de 2012. Este valor já foi corrigido, várias vezes, e a previsão mais recente aponta para uma dívida pública de 198 mil milhões de euros. Ou seja, um desvio de quase 20 mil milhões, ou um quarto do envelope financeiro entregue a Lisboa.
É de notar que a dívida do IGCP é calculada de forma distinta da troika. Esta usa critérios da União Europeia que excluem, por exemplo, os certificados de aforro, mas trabalha com um perímetro de consolidação maior. O padrão de evolução da dívida é, no entanto, igual entre as duas.
Para alguns analistas, Portugal devia começar a negociar com os credores algum tipo de reestruturação da dívida. «A partir do momento em que a balança esteja equilibrada, um perdão parcial colocaria o país numa situação bastante favorável para o cumprimento bem sucedido do programa», defende Salvador Nobre da Veiga, da XTB Portugal, em resposta a questões do SOL.
E o regresso aos mercados, em Setembro de 2013, continua a ser visto como uma possibilidade muito remota, apesar da recente evolução positiva dos juros da dívida pública, que esta semana recuaram abaixo dos 7% no prazo a dez anos, consideram ainda os analistas. Com o elevado nível de dívida (120% do Produto Interno Bruto), uma recessão superior a 1% e um défice orçamental de 4,5% por cumprir, Portugal terá de receber uma ajuda extra por parte do BCE, acreditam.

Outros Relacionados:

O que é a dívida Pública                                                            Dívida pública está sem travão
Dívida Pública 119,1% do PIB para 2012                           Europa Três anos de crise da dívida
Alemanha Memoria Curta O Perdão da Guerra              Quem Paga o Estado Social Raquel Varela
Austeridade Nobel da Economia Joseph Stiglitz              Os números de Cavaco e Sócrates
 Portugal já esteve várias vezes na Bancarrota               O Euro e os Custos de Financiamento
José Gomes Ferreira Condições e Juros à Grécia         Contas Públicas Mentiras e Falsidades
O povo viveu acima das suas possibilidades                    Resgate a Portugal Não era necessário
Carvalhas há 15 anos Costa hoje e Eça 1871             Orçamento de Estado para 2013     
    
        

Estamos em presença de um Governo ou de uma matilha de mabecos que nos querem comer a carcaça.....
Como têm todos as mesmas tonalidades e manchas é dificil de distinguir quem é o líder da matilha...
Há quem chame chefe ao Passos Coelho.... mas isto de chamar chefe nada diz com aquela anedota dos papagaios.
Alguém numa loja queria comprar um papagaio e foi sabendo, junto do vendedor, o preço dos papagaios expostos e constatou que o preço do papagaio ia subindo consoante as suas habilidades, o que cada um sabia a mais fazer...
Até que perguntou pelo preço de um tal que também estava em exposição tendo o potência comprador ficado espantado com a exorbitância pedida!"
Quando perguntou as razões e quais as habilidades que o papagaio sabia fazer para ser tão caro, obteve a resposta do vendedor: ....
.......... Ele não sabe fazer nada mas como os outros (papagaios) o chamam de chefe.....

Paulo Rangel apela manifestação contra Governo

PSD Paulo Rangel apela a grande manifestação no Norte contra o Governo
Paulo Rangel apela a grande manifestação no Norte contra o GovernoO eurodeputado do PSD, Paulo Rangel, defendeu em entrevista ao programa Pólo Norte, do Porto Canal, que o corte no financiamento da Casa da Música e a privatização da RTP mereciam uma manifestação na Avenida dos Aliados, com a dimensão do protesto de 15 de Setembro em Lisboa.
Numa entrevista ao Porto Canal que será emitida esta noite, o eurodeputado Paulo Rangel critica a actuação do Governo no caso do financiamento da Casa da Música, da privatização da ANA- aeroportos de Portugal e da RTP.

“A questão da Casa da Música ou da RTP mereciam que nós fossemos à Avenida dos Aliados manifestarmo-nos. Mereciam que nós fizéssemos aqui [no Porto] o nosso próprio 15 de Setembro no sentido regional. Acho que devíamos fazer esse apelo”, afirmou.
O social-democrata considera que com a concessão da ANA, o corte nos apoios do Estado à Casa da Música ou a suposta transferência para Lisboa da produção do programa Praça da Alegria, da RTP, afectam os interesses da região.
Para tal, acrescentou Paulo Rangel, “era preciso um líder político legitimado que puxasse pelas pessoas para elas saírem [à rua]”.
O jornal Público lembra que estas questões, levantadas pelo eurodeputado no programa Pólo Norte, do Porto Canal, têm distintas posições por parte dos governantes nortenho
28 de Dezembro de 2012 | Por Notícias Ao Minuto

Abraham Lincoln: "Pode-se enganar algumas pessoas todo o tempo; Pode-se enganar todas as pessoas algum tempo; Mas não se pode enganar todas as pessoas o tempo todo. 



Outros Relacionados:
Curriculum Vitae de: Passos Coelho                                  17 Novos Provérbios Populares Portugueses
Debate Passos Coelho - Sócrates                                       : D. Januário - Este Governo é corrupto
El País Entrevista de Passos na TVI                                   Passos Coelho vaiado na Rua.... e em Casa
Anedota O Carteiro, Passos e Portas no Inferno         Anedota Passos Coelho Obama e o Papa
Marcelo ataca Passos de falta de liderança                   Tecnoforma tem empresa gémea Passos Coelho
Capucho Governo Salvação Nacional sem Passos    Frases célebres de Pedro Passos Coelho:
Passos integra espião acusado                                           Passos Coelho em Contradições PEC IV
Passos Portugal no Bom Caminho                                     13 motoristas nomeados por Passos Coelho
Mudança de Fisionomia - Passos = Salazar                   Passos Coelho a Esposa e o Cego     
 Passos a 1 de Abril Promete à Criança 13º. mês       BPN - Mira Amaral convida Passos
Passos Coelho, ama-te                                                            SIC: Buraco do BPN 7 mil milhões

Anedota Deus e os dois presentes Adão e Eva

Quando Deus criou Adão e Eva, disse aos dois:
- Tenho dois presentes para distribuir entre vocês: Um é para fazer xixi em pé e…
Adão, ansiosíssimo, interrompeu, gritando:
- Eu! Eu! Eu! Eu! Eu quero, por favor… Senhor, por favor, por favor. Sim?
- Facilitaria-Me a vida substancialmente!
- Por favor! Por favor! Por favor!
Eva concordou e disse que essas coisas não tinham importância para ela.
Então, Deus presenteou Adão.
Adão ficou maravilhado. Gritava de alegria, corria pelo jardim do Éden fazendo xixi em todas as árvores.
Correu pela praia fazendo desenhos com seu xixi na areia.
Brincava de chafariz. Acendia uma fogueirinha e brincava de bombeiro…
Deus e Eva contemplavam o homem louco de felicidade, até que Eva perguntou a Deus:
- E… Qual é o outro presente?
Deus respondeu:
Cérebro, Eva … O cérebro é seu!


sábado, 29 de dezembro de 2012

Bom Ano 2013 para Amigos Especiais


BOM ANO DE 2013 PARA AMIGOS ESPECIAIS ...
Você nasce sem pedir e morre sem querer...
Por isso, aproveite o Intervalo SENDO FELIZ!!!
 

VOCÊ VALE OURO PARA MIM! 
cid:027e01c8eda8$d593c8e0$9000a8c0@local.datasupri.com.brPassados mais de 60 anos, eis o que aprendi:
O tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa.
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêm.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.


Mas..... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estejam entre vocês. Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo a seu favor e esperando você de braços abertos; abençoando sua vida!


Todos nós, quando iniciámos esta aventura chamada vida, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante, nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.
Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas, alegria e festa. Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.

CONSERVEM SEUS AMIGOS! 
PERDOE AS DESAVENÇAS QUANDO HOUVER; SEJA FELIZ AO LADO DELES PORQUE O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO...

UM BOM ANO DE 2013 COM MUITOS AMIGOS! 
cid:027f01c8eda8$d593c8e0$9000a8c0@local.datasupri.com.br






COLORI~1[1].GIF

           





sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Piada e Chacota Vergonha de um País

video

Eu não tenho explicação e por isso não posso explicar. Fica-me um asco acrescido por entre silvas e montes de cavacos… e não há um raio que lhes pegue fogo e lhes acabe com a raça…

BPN O Maior erro de Teixeira dos Santos

Por exemplo, os cerca de 1200 apartamentos que Dias Loureiro e Joaquim Coimbra têm num resort no Sal, que faz parte de um Fundo que eles geriam via o Fiducial, mas cujo Fundo é pertença de uma holding.... deles.
Ou da ex-frota do BPN em Santiago, composta por X5, Touaregs v12 e Cheyennes, que mudou de ilha, servindo agora ao senhor Coimbra e família, assim como ao senhor ex-conselheiro de Estado e actual conselheiro de Passos, quando por lá anda.
E se me puxarem muito pela língua, ainda digo mais, por exemplo, outros parceiros desta gente, tudo "insuspeitos" laranjas, com várias empresas por lá montadas em offshore, para concorrerem às privatizações locais, de companhia aérea, águas, electricidade, renováveis... etc., e pelo que sei, com o beneplácito do 1º ministro lá do burgo, que não tem intenção de morrer pobre.
Pode até existir um pacto. Seria o fim de muita gente, seria o acabar de tanta figura dita de referência afecta ao PSD, o Silva incluído, não só pelas acções mas pelos negócios familiares e pessoais conseguidos com dinheiros daquele Banco.
Grosso modo, dos que conheço que molharam a sopa, mais os autores do sistema para o assalto, existem umas 30 figuras nacionais do PSD.
Não sei se até o próprio partido escaparia, porque se financiou via SLN através dos Bancos piratas em Cabo Verde. MAs acredito que sim, pois já escapou quanto urdiu a fraude fiscal em pirâmide, com a Somague, através de facturas falsas em que aquela recebia o IVA e deduzia em sede de IRC.
Tudo é possível neste rectângulo !!
Por BrincaNareia

Abraham Lincoln: "Pode-se enganar algumas pessoas todo o tempo; Pode-se enganar todas as pessoas algum tempo; Mas não se pode enganar todas as pessoas o tempo todo. 





Outros relacionados:
Corrupção no Parlamento - Paulo Morais                           Paulo Portas e os Submarinos
 Medina Carreira e Paulo Morais Gatunagem                      Justiça Em Portugal, finalmente !!!!!
D. Januário - Este Governo é corrupto                                Versos do Alentejano Doutor à Relvas
Borges e a venda da CGD Saúde                                       As grandes sociedades de advogados
PGR Estranho e Inédito Socrates Freeport                         BPN Revelado Esquema de Duarte Lima
BPN dava 20 anos Orçamento das Freguesias                  BPN vendido com 60% de desconto ao BIC
Paulo Morais BPN foi Formado por Políticos                      BPN vai custar 3,4 mil milhões em 2012
Venda do BPN pouco transparente                                    BPN Francisco Louça no Parlamento
Cuico Versos Submarinos e BPN                                       BPN A Fraude sem Castigo
BPN Vivenda de Cavaco no Algarve                                  BPN-Falência provocava queda de 4% na ...
BPN 3 anos Subsídio Férias e Natal                                  BPN Duarte Lima
BPN - Mira Amaral convida Passos                                    BPN e a Bancarrota do País
Depois do BPN Segue-se a CGD !!! ???                          Sermão do Bom Ladrão Pe António Vieira     

Genro de Cavaco compra Pavilhão Atlântico                    A face oculta do 'Monte Branco' Visão  Austeridade Carlos Moreno vai acontecer 2013            Origem da Fortuna da família de Sócrates
 O povo viveu acima das suas possibilidades                 Grande Poeta é o Povo Português
A Grande Loja Laranja e a EDP - Privatizações               Ali Babá e os 40 Ladrões  
 Diga 'Sócrates' e tudo se explica                                    Compra dos submarinos Duarte Lima    






dívida pública portuguesa aumentou de 112 para os 117,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro para o segundo trimestre do ano, sendo a terceira mais elevada da União Europeia, segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.
Os dados trimestrais da dívida pública do gabinete oficial de estatísticas da UE revelam que, além de ter a terceira dívida pública mais elevada, Portugal também registou a terceira maior subida entre o primeiro e o segundo trimestres do ano (5,5 pontos percentuais), apenas atrás de Grécia (13,4) e Chipre (8,3).
Comparativamente ao segundo trimestre do ano passado, a dívida pública portuguesa aumentou 10,8 pontos (era então de 106,7%), o que representa a segunda maior subida, apenas superada por Chipre (mais 16,5).
Em termos gerais, no final do segundo trimestre, a dívida pública subiu tanto na zona euro, de 88,2% para 90% do PIB, como no conjunto da UE, de 83,5 para 84,9%, o que o Eurostat justifica em parte com os empréstimos de Estados-membros aos países sob programa de ajuda.
Os números agora divulgados mostram que as maiores dívidas públicas pertencem a Grécia (150,3%), Itália (126,1), Portugal (117,5) e Irlanda (111,5), enquanto as menores são as da Estónia (7,3), Bulgária (16,5) e Luxemburgo (20,9).
Por wolwerine/Expresso

52 Empresas Faliram por dia em 2012










São cerca de 25 as empresas que recorreram aos tribunais, por dia, para pedir insolvência.

O número aumentou em 50 por cento face a 2011 e a confederação das Micro, Pequenas e Médias empresas (PME) diz que os graves efeitos da crise não vão ficar por aqui, já que 2013 será «um ano muito pior», com um «turbilhão de falências, insolvências e despedimentos».

A direção da confederação diz que o Governo pode evitar um novo agravamento da situação, reconsiderando, por exemplo, a faturação eletrónica. Mas também diferenciando as empresas em termos fiscais e apostando em novos setores do mercado interno e não só na exportação.

No início do mês o instituto informador comercial já tinha revelado que em 2012 fecharam cerca de 5.800 empresas, mais 1.700 do que no ano passado.

Fonte: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/insolvencias-falencias-empresas-agencia-financeira/1404871-1730.html


52 empresas faliram em cada dia de 2012 – desemprego é o custo da crise

A austeridade provocou as falênciasEm 2012 o número de insolvências subiu 62% face ao ano anterior e 174% face a 2010. Foram 19 mil os casos de insolvência registados em 2012 e cerca de dois terços foram falências pessoais, o que atesta sobre o desastre social que as famílias estão a viver (notícia aqui).
Para 2013 a situação irá piorar ainda mais, de acordo com o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Judiciais (APAJ) que afirma que “Não se vislumbra razões para que haja uma diminuição [das insolvências] quer nas pessoas colectivas, quer nos particulares” (notícia aqui).
Como é óbvio, o número de falências das empresas provoca um maior desemprego e o desemprego provoca as falências pessoais, nomeadamente com a impossibilidade do pagamento dos empréstimos do crédito à habitação. O ciclo vicioso criado por Passos Coelho é imparável com este caminho.
Aliás, é de relevar que o desemprego já atingiu os 16,3% em Outubro e que isso quase ultrapassa a estimativa do Governo para o desemprego em 2013; e se atentarmos aos jovens o desemprego real já ultrapassou os 52% (notícia aqui).
Se estava tudo mal, a troika e o Governo vão tornar tudo ainda pior.


Gestores fizeram milhões no ano da crise

Mexia é um dos super gestores com super saláriosDe acordo com os jornais de hoje os salários dos gestores portugueses cresceram em média 4,4% em 2011, ano em que a troika entrou no país. Na verdade, se os administradores das 44 empresas do PSI20 ganharam em média mais de 290 mil euros, foram encontrados 30 gestores de grandes empresas que ganharam acima de um milhão de euros nesse ano. Um dos gestores terá mesmo ganho mais de 2,7 milhões de euros num só ano, ou seja, 400 vezes mais do que alguém que ganhou o salário mínimo.
Assim, se houve quem tenha vivido e continue a viver acima das possibilidades do país foram os gestores
das grandes empresas a funcionar em Portugal e que até já levaram a tributação dessas empresas para outros países com regimes de tributação mais favoráveis.
Estes gestores têm nomes que todos conhecemos e todos os dias os ouvimos dizer na televisão que é preciso mais esforço e salários mais baixos para sair da crise, ou “mais competitividade”, como lhe chamam. Mas António Mexia (EDP), Belmiro de Azevedo (Sonae Indústria), Jorge Coelho (Mota-Engil), Paulo de Azevedo (Sonae), Ângelo Paupério (Soanecom), Zeinal Bava (PT), Pedro Soares dos Santos (Jerónimo Martins), Ricardo Salgado (BES), Vasco de Melo (Brisa), Paulo Fernandes (Altri), Nuno Amado (BCP), Fernando Ulrich (BPI), Rui Cartaxo (REN), João Manso Neto (EDP Renováveis), Ferreira de Oliveira (Galp), Pedro Queiroz Pereira (Semapa), José Honório (Portucel) ou Rodrigo Costa (Zon) aumentaram e não diminuíram os seus salários.
Eles e estas mega empresas vivem à custa do nosso desemprego e precariedade e não contribuem com nada para saída da crise. Apesar disso, Passos e Portas continuam a estender a passadeira vermelha.