sábado, 20 de outubro de 2012

Tecnoforma tem empresa gémea Passos Coelho

                                                       


http://leitor.expresso.pt/#library/expressodiario/24-09-2014/caderno-1/temas-principais/03_TP-Tecnoforma


Entre 2004 e 2005, Ângelo Correia, o padrinho político de Passos Coelho, foi administrador da offshore Anchorage Grouo Assets, sediada nas Ilhas Virgens Britânicas. O problema é que as autoridades …
JORNALALERTA.WORDPRESS.COM

Investigação aos fundos atribuídos à Tecnoforma foi solicitada pela eurodeputada socialista Ana Gomes. Os investigadores europeus apuraram infracções penais e...
RR.SAPO.PT





O Gabinete anti-fraude da União Europeia está a investigar a empresa onde Passos Coelho trabalhou. Trata-se da Tecnoforma, que recebeu fundos ...
RTP.PT|DE RTP, RÁDIO E TELEVISÃO DE PORTUGAL - RTP



Tecnoforma está insolvente e deve 400 mil ao BESA Tecnoforma - empresa onde Pedro Passos Coelho foi consultor e administrador – deve 400 mil euros ao Banco Espírito Santo (BES). O Novo Banco passa assim a ser um dos principais credores da firma.IONLINE.PT

Responsável pelo programa do PSD preside o instituto que contratou serviços a associações suas, no valor de quase 242 mil euros
DN.PT|DE GLOBAL MEDIA GROUP








IOL · 382 PARTILHAS · 8 DE ABRIL DE 2015


Pertenço a uma raça de homens que gosta de honrar compromissos

by As Minhas Leituras
A notícia é esclarecedora do carácter desta gente (recordar esta afirmação)! Mais de cem mil portugueses, sobretudo trabalhadores precários pagos a recibos verdes, andaram com o coração na boca em 2007 e 2008. A Segurança Social estava então a notificá-los de que deviam elevados montantes, relativos a contribuições não entregues — mesmo em anos em […]




Segundo o Público, a investigação envolvendo Passos Coelho terá sido uma das mais rápidas investigações criminais da história de Portugal. De fora ficou a...
NOTICIASAOMINUTO.COM



Funcionários do Fisco investigados por aceder a dados de Passos Coelho


















Ministério das Finanças está a investigar acessos indevidos à informação fiscal do primeiro-ministro. Os trabalhadores vão prestar declarações e podem ser alvo de processo disciplinar.





Dois funcionários terão sido objecto de processos disciplinares por terem consultado o cadastro fiscal do primeiro-ministro. Sindicato fala numa situação...
JORNALDENEGOCIOS.PT








Passos Coelho envolvido em mais de 10 processos e muito mais. Leia o artigo e verá..
JORNALQ.COM|DE ÚLTIMA HORA

Vamos conhecer melhor o caso TECNOFORMA. Já conhece? se calhar não...


A Tecnoforma – Formação e Consultoria S.A. nasceu em 1984. À época em que Passos Coelho era deputado – e quando iniciou a relação com o grupo...
OBSERVADOR.PT






Em 1999, o actual primeiro-ministro requereu o subsídio de reintegração, de cerca de 60 mil euros, destinado a deputados em dedicação exclusiva. Na altura,...
PUBLICO.PT


Como presidente do Centro Português Para a Cooperação Passos Coelho viu amigos serem...
VISAO.SAPO.PT|DE VISÃO - IMPRESA PUBLISHING S.A.


Pedro Passos Coelho foi perentório no Parlamento: "Nunca recebi qualquer valor da Tecnoforma". Uma afirmação com a qual o primeiro-ministro fez questão de encerrar a polémica sobre a sua colaboração com aquela empresa. Mas a maioria dos portugueses não acredita que Passos nunca tenha recebido dinhei…
M.CMJORNAL.XL.PT



Há os presos e os outros
O nº1: Passos presta esclarecimentos mas não diz quanto recebeu do CPPC
visao.sapo.pt/quem-tramou-passos-coelho=f797233#ixzz3MOazUt7F
O nº2: 1,06 milhões de euros em notas depositados por funcionários na conta do CDS no final de 2004
www.publico.pt/politica/noticia/106-milhoes-de-euros-em-notas-depositados-por-funci onarios-na-conta-do-cds-no-final-de-2004-1559142
Os anjos da guarda:
Marques Mendes surge no processo Vistos Dourados
www.tvi24.iol.pt/sociedade/vistos-gold/nome-de-marques-mendes-surge-no-processo-vis tos-dourados
Fraude, Marques Mendes apanhado em negócio ilegal de ações
www.noticiasaominuto.com/politica/161420/marques-mendes-apanhado-em-negocio-ilegal- de-acoes
Alô superjuiz, arranje um tempinho para dizer á malta que esta gente não merece ser presa, "para averiguações
". por. farialopesexp


Um antigo diretor da Tecnoforma diz que havia uma contabilidade paralela na empresa.

Um antigo diretor da Tecnoforma diz que havia uma contabilidade paralela na empresa. A denúncia inclui também uma referência a uma off-shore, que funcionaria como "um saco azul". Revela ainda...
RTP.PT|DE RTP, RÁDIO E TELEVISÃO DE PORTUGAL - ANA CARDOSO FONSECA/ MIGUEL CERVAN



Mérito, minha gente! MÉRITO! Estado contrata contabilista da Tecnoforma para gerir créditos do BPN

by As Minhas Leituras
Francisco Banha era o responsável pelas finanças da Tecnoforma quando Passos Coelho e Francisco Nogueira Leite geriram aquela empresa. O último é agora o presidente da Parvalorem, e contratou os serviços de Banha para a empresa que concentra o crédito malparado do antigo BPN. Francisco Banha diz que tem uma missão: fazer a “evangelização do […]


QUEM SERÁ ESTE CAMARADA VASCO?
A denuncia feita contra Pedro Passos Coelho sobre alegados pagamentos da Tecnoforma foi investigada por um outro procurador antes de ser arquivada por...
RTP.PT|DE RTP, RÁDIO E TELEVISÃO DE PORTUGAL - GRAÇA ANDRADE RAMOS

Rosalindo Moita Não chorem não vale a pena, já não pagam ás carpideiras, se o Povo só fez asneiras, tal me farto de cantilena. Se Passos por sua cena, só nos diz é baboseiras, me faz perder estribeiras, e ao País a todo empena. O ladrão de ser Primeiro, por defesa de ser Ministro, vai Cavaco sorrateiro, de seu olhar tão sinistro, diz, se defendo o caloteiro, vós culpados a seu registro.

O antigo dirigente da Tecnoforma, Luís Brito, revelou que na empresa existia uma conta offshore onde passavam milhões de dólares vindos de Angola.
Um antigo diretor geral da Tecnoforma, Luís Brito, afirmou que na organização existia uma companhia offshore que servia para depositar milhões de dólares...
NOTICIASAOMINUTO.COM





Passos, o ainda sem memória

by As Minhas Leituras
Mais tema hilariante posto à prova pela voz de Bruno Nogueira!


Artigo de opinião de Paula Santos
Todas as notícias que marcam a actualidade ao minuto, no seu jornal Expresso.
EXPRESSO.SAPO.PT|DE EXPRESSO - IMPRESA PUBLISHING S.A.




Primeiro-ministro recusa levantar sigilo bancário pois seria um striptease para...
CMJORNAL.XL.PT


Para aqueles que ainda têm dúvidas sobre a idoneidade deste paspalho.
Na carta anónima, misteriosamente assinada por "Vasco", há referência a contas bancárias na Margem Sul e fala-se especificamente do regime de exclusividade...
OBSERVADOR.PT


É só escavar ...
*/ Conheça os contornos de um esquema liderado por Miguel Relvas que beneficiou financeiramente vários dirigentes do PSD, entre eles o atual primeiro-ministro...
ESQUERDA.NET


Saiu Miguel Relvas entra Paulo Pereira Coelho. A quadrilha da Tecnoforma continua bem representada no governo. Para quem não sabe Paulo Pereira Coelho foi membro da direção da JSD juntamente com Miguel Relvas e Passos Coelho....
LEITURAS.EU

Mas se for verdade que recebeu cinco mil euros por mês da empresa Tecnoforma, entre 1997 e 1999, para desempenhar as funções de presidente do Centro Português para a Cooperação (CPPC) — uma organização não-governamental criada por aquela empresa para lhe angariar financiamentos internacionais —, então o problema é bastante mais complicado: terá violado as regras da exclusividade e terá incorrido num crime fiscal por não ter declarado tais rendimentos nas suas declarações de IRS.

A referência aos pagamentos alegadamente feitos pela Tecnoforma, empresa de formação profissional de que Passos Coelho foi consultor a partir de 2002, e mais tarde administrador, surgiu na revista Sábado, que noticiou na semana passada o facto de o Ministério Público estar a investigar uma denúncia nos termos da qual o actual primeiro-ministro recebeu cerca de 150 mil euros naqueles três anos para dirigir o CPPC, estando em exclusividade.






«QUERO QUE O PASSARÃO SALTE DO GALHO»

• Clara Ferreira Alves, O PASSARITO E O PASSARÃO [ontem no Expresso/Revista]:

«(…) Não esqueçamos o caso Tecnoforma. Não pelo caso em si, ou pelas quantias envolvidas ou sonegadas, pessoalmente estou-me nas tintas para os mil contitos do PASSARÃO. O que convém não esquecer, dada a falta de memória que por aí vai, é que o PASSARÃO ganhou as eleições com um argumento: eu vou limpar Portugal de gente
que trepa e se aproveita do Estado e assim faz descambar as balanças. Eu vou varrer os oportunistas, os papa-subsídios, os proventos de mão esquerda, os funcionários públicos bissextos, os tipos que enterraram o país na dívida e agora não são capazes de o governar obedecendo aos preceitos da Alemanha benfeitora. Eu vou ser o salvador da pátria. Eu sou impoluto e limpo de coração, não tenho fortuna pessoal, sou remediado e renunciei a subvenções vitalícias, férias no estrangeiro e salmão em executiva. A minha cidade preferida é Vila Real (quando o PASSARÃO disse isto, eu soube logo que ele estava a mentir... adiante).

Este o argumento. Com o dizia a defunta Mrs.Thatcher, primeiro ganha-se o argumento e depois ganha-se o voto. É este o processo. O PASSARÃO nem chegou a ganhar o argumento. Atirou-se de cabeça ao voto. Mostrou o plano, anunciou com aquela voz de tenor que a gravata não tinha nódoas e sentou-se à mesa. Sentou ao lado direito, ao lado de deus pai, o PASSARÃO maior, conhecido por gostar de relva
fresca. Ora, o bom povo português já esqueceu as estupendas trapalhadas destes dois e confessa a sua admiração com a escassa obra beneficente do Centro Português de Cooperação e o seu presidente Passos PASSARÃO, mais a mecenas Tecnoforma e o seu offshore em Jersey (por uma vez, não é nas Ilhas Caimão, e no ponto em que estamos, acho admirável) fora o subsídio de reintegração e a fuga aos impostos através desse subterfúgio de funcionários chamado despesas de representação. Isto não é o importante, muita gente apresentou despesas de representação e papou subsídios. Muita gente quis fugir ao braço longo do Estado papão. Muita gente abriu empresas num dia para sacar fundos europeus para as fechar no dia seguinte quando os fundos secaram. A diferença é que essa gente pecadora não anda por aí de mão no peito a ganhar o voto e a chamar piegas aos portugueses e a dizer que somos um povo de cigarras que não quer trabalhar.

O PASSARÃO que me perdoe mas a cigarra é um animal simpático. Já um PASSARÃO que apresenta como currículo uma carreira à sombra dos tutores do partido e das baldas do partido, não devia apregoar a virtude (nem dizer que Vila Real etc., etc.). Muito menos devia andar com más companhias que recrutam espiões para serviço próprio e vendem o país a retalho sob a manta da "cooperação" e da premência da "ajuda externa". O que o PASSARÃO tem feito, estes meses todos, é revender Portugal a interesses obscuros e cobrar impostos. Não confio nele para tal missão. Nem nele nem nos passarocos aplicados e prístinos que o rodeiam. Não quero que o PASSARÃO venda a TAP, agora. Nem as Águas de Portugal. Nem o que falta vender antes que a legislatura termine. Quero que o PASSARÃO salte do galho.»





Coelho, Relvas & Barroso, tomem nota desta referência: OF/2012/1352

COMISSÃO EUROPEIA INVESTIGA PASSOS COELHO, MIGUEL RELVAS E TECNOFORMA.
Onde se fala de 1063 formandos para operadores técnicos de aeródromos e heliportos municipais na Região Centro, onde existiam nove aeródromos, mas só três tinham actividade, ainda que residual, e empregavam um total 10 de trabalhadores.... e onde nenhum dos inscritos conseguiu ver a sua formação certificada.
O Gabinete de Luta Anti-fraude da União Europeia (OLAF) está a investigar, desde Dezembro de 2013, os indícios de fraude relativos ao financiamento da Tecnoforma e da CPPC, a ONG (sem ou com fins logrativos?), que, alegadamente, só pagou despesas de representação ao senhor gajo, seu presidente.
Nos entretantos (e antes dos finalmentes), a Direcção Geral do Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão da Comissão Europeia abriu uma investigação com a referência OF/2012/1352 a propósito da alegada má gestão ou fraude na aplicação dos fundos europeus por parte da Tecnoforma e da ONG fundada por Passos Coelho#. RECORDE-SE.
RECORDE-SE que na altura Miguel Relvas# ocupava o cargo de secretário de Estado da Administração Local, era então Durão Barroso# o primeiro ministro cá da paróquia... Olha que três!!! RECORDE-SE # # #
RECORDE-SE que a Tecnoforma obteve entre 2002 e 2004 cerca 80 % dos financiamentos europeus atribuídos na Região Centro à totalidade das empresas privadas concorrentes à realização de acções de formação para funcionários autárquicos, no âmbito do programa Foral, cuja tutela cabia a Miguel Relvas, RECORDE-SE...
RECORDE-SE que o gestor do programa na Região Centro e os principais quadros técnicos da Tecnoforma tinham sido correlegionários de Coelho&Relvas na direcção da Juventude Social Democráta, vulgo, jotinhas. RECORDE-SE.  Vitor Daniel Diogo Pereira


"As costureirinhas! Depois de ter lido que a atividade da ONG de Passos Coelho teve como único, mas significativo (além de meritório) resultado a formação de 28 costureiras no bairro da Pedreira dos Húngaros, acredito que as despesas de representação foram pagas pela Singer e que a Tecnoforma é um filme."
costureiras no bairro da Pedreira dos Húngaros, acredito que as despesas de representação foram pagas pela Singer e que a Tecnoforma é um filme.



Nos últimos cinco anos, a Tecnoforma – empresa onde trabalhou Pedro Passos Coelho – acumulou 30 acções judiciais que continuam pendentes e que ascendem a mais de 600 mil euros. Mas há dois anos, os seus administradores criaram a Tecnoforma II, uma sociedade que tem ganhado contratos por ajuste directo com várias câmaras municipais.
Foi a 18 de Maio de 2010 que Sérgio Manuel Alves Porfírio e Manuel António Nunes Cardoso Castro – administradores da Tecnoforma – assinaram os estatutos da Tecnoforma II, uma empresa por quotas, que é detida também pela Plurimpera SGPS, SA – que por sua vez pertence aos mesmos Sérgio Porfírio e Manuel Castro.
Segundo os estatutos a que o SOL teve acesso, a Tecnoforma II tem um capital social de cinco mil euros e tem como objecto «a prestação de serviços de consultoria e assessoria empresarial e gestão de empresas, gestão e selecção de recursos humanos e prestação de serviços de apoio à educação».
No fundo, objectivos muito semelhantes aos da empresa onde o actual primeiro-ministro trabalhou durante quatro anos e que se dedica, segundo o seu site oficial, à consultoria e formação.
Olhando para os relatórios da Dun and Bradstreet – que avalia o risco das empresas – há grandes diferenças entre a Tecnoforma e a Tecnoforma II: enquanto a primeira apresenta um «nível de risco elevado» e um «limite de crédito não recomendado», a segunda tem um «nível de risco inferior à média».
De resto, alguns dos processos que a Tecnoforma tem pendentes em tribunal dizem respeito a acções executivas, ou seja, a casos de dívidas por cobrar.
Apesar das várias tentativas de contacto do SOL, não foi, no entanto, possível chegar à fala com os sócios Sérgio Porfírio e Manuel Castro para perceber por que motivo decidiram criar a Tecnoforma II, uma vez que a Tecnoforma – constituída em 1984 – continua activa e não há qualquer referência a esta segunda empresa no site da consultora onde Passos Coelho chegou a trabalhar como consultor entre 2000 e 2004.
Autarquias do PSD contrataram Tecnoforma II
Já José Inácio Marques Eduardo, presidente da Câmara de Lagoa, explicou ao SOL que a adjudicação de serviços de apoio à implementação do SIADAP foi feita à Tecnforma II, depois de a empresa, «como fazem muitas outras», ter enviado um e-mail à autarquia apresentando os seus serviços.AoSegundo a informação disponível na Base de Contratos Públicos online, entre 2011 e 2012 a Tecnoforma II conseguiu quatro contratos com autarquias. Todas lideradas por executivos do PSD.
A empresa detida pelos administradores da Tecnoforma foi contratada pelas câmaras de Almôdovar, Lagoa e Oleiros – sendo que esta última assinou dois contratos de consultoria para a «implementação e acompanhamento do Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho (SIADAP)», alegando «ausência de recursos próprios».
 todo e em dois anos, a Tecnoforma II somou contratos no valor de 50 mil euros com estas quatro autarquias.
Contactadas pelo SOL, nem a Câmara de Oleiros nem a de Almodôvar estiveram disponíveis para prestar esclarecimento.
«Não conheço nem nunca vi os sócios dessa empresa», assegura o autarca, explicando que o contrato foi assinado, «depois de uma consulta ao mercado» e que o procedimento foi o de ajuste directo, por se tratar «de um valor inferior a 75 mil euros, tal como está na lei».
A falta de recursos humanos próprios para pôr em funcionamento a avaliação de desempenho dos dirigentes do município foi a razão para contratar, em 2011, a Tecnoforma II por 19.800 euros. Segundo a Câmara de Lagoa, o processo «muito burocrático e que obrigou a tarefas complexas» abrangeu «cerca de cinco centenas de trabalhadores».
«Tal trabalho tinha que ser feito sob pena de penalização para o município, traduzida na retenção de 10% das transferências do Estado se os procedimentos, regras e prazos de implementação e acompanhamento do SIADAP não fossem concretizados», diz a autarquia.
José Inácio Marques Eduardo adianta que «tudo foi pago com receitas próprias do município», por Lagoa não estar abrangida por nenhum programa que pudesse financiar esta contratação. E, este ano, a autarquia optou mesmo por não fazer novo contrato, por questões «contenção financeira», estando o SIADAP a ser implementado por técnicos da Câmara.
Tags: Passos CoelhoSociedadeTecnoforma                                                                                

O primeiro ministro Pedro Passos Coelho terá recebido pagamentos do grupo Tecnoforma no valor de mais de 150 mil euros entre 1995 e 1998, quando era...






Questionado pelos jornalistas sobre as notícias de que está a ser investigado por alegados pagamentos que terá recebido da Tecnoforma quando era deputado...
VAIEVEM.WORDPRESS.COM



Outros links relacionados:


Económico TV - 24 de Setembro
Programa "Assembleia Geral", com Eduarda Carvalho
Tema: Passos Coelho e Tecnoforma
Carlos Paz Como previsto, o senhor sai por cima e fica a VERDADEIRA componente CRIMINAL do caso TECNOFORMA completamente BRANQUEADA! ... http://economico.sapo.pt/.../caso-tecnoforma-salario-nao...
Em jeito de depoimento, Passos Coelho arrancou o...
ECONOMICO.SAPO.PT|DE IBT INTERNET BUSINESS TECHNOLOGIES, SA


Para além de saber se Passos Coelho recebeu ou não via "despesas de representação", há outro tema sobre o qual...
ECONOMICO.SAPO.PT|DE IBT INTERNET BUSINESS TECHNOLOGIES, SA





Carlos Paz Mais informação sobre o tema ...http://www.ionline.pt/.../por.../inferno-pedro-passos-coelho
Pedro Passos Coelho garantiu ao parlamento que nunca recebeu, enquanto deputado, dinheiro da Tecnoforma e...
IONLINE.PT


Carlos Paz Como se diz no vídeo, enquanto não mudarmos a partir de cima (Presidência da República), NADA vai acontecer! ...http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=714265&tm=6...
RTP.PT|DE RTP, RÁDIO E TELEVISÃO DE PORTUGAL - ISABEL DAMÁSIO / ANTÓNIO NABO / FILIPE MARTINS / CARLOS VALENTE



Carlos Paz Nascem como cogumelos ... http://visao.sapo.pt/gaiagate-seis-casos-nas-maos-da-pj...
Rios de dinheiro em propaganda agências de amigos negócios ruinosos ligações perigosas património por...
VISAO.SAPO.PT


Carlos Paz Mais da mesma PORCARIA ...http://www.noticiasaominuto.com/.../os-donativos-a-ong-de...
Mais de 90% dos donativos que o Centro Português para...
NOTICIASAOMINUTO.COM


Cê Cê Pois... http://www.publico.pt/.../pgr-arquivou-denuncia-mas-a...
O inquérito aberto na sequência da denúncia de que...
PUBLICO.PT

Cê Cê Aqui há mais e há muitos "gatos"... http://www.publico.pt/.../o-processo-completo-do-deputado...
O PÚBLICO divulga o dossier completo sobre os...
PUBLICO.PT


Carlos Paz Mais informação ... http://visao.sapo.pt/quem-tramou-passos-coelho=f797233...
Uma denúncia anónima declarações omissas uma ONG sem registos e reembolsos que ninguém consegue...
VISAO.SAPO.PT|DE AEIOU - INVESTIMENTOS MULTIMÉDIA, S.A.

Carlos Paz A ANEDOTA do dia ... http://visao.sapo.pt/tecnoforma-vai-processar...
A eurodeputada Ana Gomes e o historiador e comentador...
VISAO.SAPO.PT|DE AEIOU - INVESTIMENTOS MULTIMÉDIA, S.A.


Assunto: " malabarice"!!!
 

Malabarice Um dia, Passos Coelho inventou este termo a propósito de qualquer coisa: malabarice. Não explicou, mas esta filha do malabarismo e da vigarice, que não existe ainda nos dicionários (pelo menos no Aurélio), foi uma magnífica contribuição para a literatura nacional, que só posso saudar. Malabarice é o que estamos a viver hoje. Malabarice é o secretário-geral do Parlamento apresentar informações falsas para proteger o seu correligionário, quando tem obrigação de prestar informações verdadeiras. Malabarice é Passos Coelho fingir que abdicou de 10% a título de exclusividade quando recebia 15% por ser vice-presidente da bancada, o que o impedia de receber os malabaristas 10%. Malabarice é receber um subsídio de reintegração quando já se tem um trabalho pago e se continua a ocupar o mesmo posto no mesmo trabalho pago. Malabarice era uma empresa que pedia por intermédio de um amigo (Miguel Relvas) um financiamento de 1,2 milhões para formar 1063 técnicos para 9 aeródromos, dos quais só 3 estavam abertos e tinham dez trabalhadores. Malabarice foi agora a explicação de Passos Coelho para o dinheiro que recebeu da Tecnoforma enquanto declarava exclusividade no Parlamento. Malabarice é dizer que não recebeu qualquer remuneração certa e jogar com palavras, quando se fazia pagar em despesas de representação, que na época era a forma de não pagar imposto. Malabarice é não dizer quanto recebeu nessas despesas de representação. Malabarice é viver com subterfúgios para não pagar impostos e depois impor um colossal aumento de impostos aos trabalhadores e reformados. Malabarice é dizer a todos os outros que vivem acima das suas possibilidades e usar todas as suas próprias possibilidades para não pagar os seus impostos. (publicado no blog Tudomenoseconomia, no Público, 26 setembro)

Malabarice


Um dia, Passos Coelho inventou este termo a propósito de qualquer coisa: "malabarice". Não explicou, mas esta filha do malabarismo e da vigarice, que não existe ainda nos dicionários (pelo menos no Aurélio), foi uma magnífica contribuição para a literatura nacional, que só posso saudar.

"Malabarice" é o que estamos a viver hoje.

"Malabarice" é o secretário-geral do Parlamento apresentar informações falsas para proteger o seu correligionário, quando tem obrigação de prestar informações verdadeiras.

"Malabarice" é Passos Coelho fingir que abdicou de 10% a título de exclusividade quando recebia 15% por ser vice-presidente da bancada, o que o impedia de receber os malabaristas 10%.

"Malabarice" é receber um subsídio de reintegração quando já se tem um trabalho pago e se continua a ocupar o mesmo posto no mesmo trabalho pago.

"Malabarice" era uma empresa que pedia por intermédio de um amigo (Miguel Relvas) um financiamento de 1,2 milhões para formar 1063 técnicos para 9 aeródromos, dos quais só 3 estavam abertos e tinham dez trabalhadores.

"Malabarice" foi agora a explicação de Passos Coelho para o dinheiro que recebeu da Tecnoforma enquanto declarava exclusividade no Parlamento.

"Malabarice" é dizer que não recebeu qualquer remuneração certa e jogar com palavras, quando se fazia pagar em despesas de representação, que na época era a forma de não pagar imposto.

"Malabarice" é não dizer quanto recebeu nessas despesas de representação.

"Malabarice" é viver com subterfúgios para não pagar impostos e depois impor um colossal aumento de impostos aos trabalhadores e reformados.

"Malabarice" é dizer a todos os outros que vivem acima das suas possibilidades e usar todas as suas próprias possibilidades para não pagar os seus impostos.


A Finertec de Relvas, tinha um sócio. Sócio a 40%, quota detida pelo Banco Sul-Atlântico ou Fiducial Cabo Verde, não me recordo. Mas qualquer um desconhecido da laranjada dominante. Dizem eles !!

Com a descoberta da marosca, Relvas compra a parte do sócio e partilha-a com Ângelo Correia. Por troca de partes, o doutô Relvas é hoje sócio da Fomentinvest do Ângelo, em 19 das suas empresas.

Ou seja, com o nosso dinheiro o Relvas é "patrão" de 19 empresas, na maioria dependentes do Estado, porque este é único cliente ou único fornecedor.

Gostaria de saber que sumiço levou uma outra empresa em que o doutô era igualmente sócio com o BPN. A Prokonsult, onde o Farsola iniciou o seu estágio em maroscas e expedientes, levando-o a fundar a Tecnoforma e ONG's caseiras para arredondamento de fins de mês.

Todos sabemos que o Relvas indo para o Governo pretendeu ver afastado o seu nome, e o do Farsola, das possíveis ligações aos bancos que todos desconheciam.
O Braz da Silva aparece nessa altura, tal como apareceu uma ex-futura-secretária de Relvas, hoje mulher, como administradora da Tecnoforma, tendo o Farsola ido a correr revogar a procuração de plenos poderes que detinha há 10 anos.

Finertec e Nutroton, ambas criadas com dinheiro das desnatadeiras, do Fiducial Cabo Verde, pelas mãozinhas do Relvas e Coimbra. Mai nada, por muito que insistas na lavagem da tua corja.
 Por: BrincaNareia



Tecnoforma Primeiro-ministro criou ONG para
financiar empresa que veio a administrar
O primeiro- ministro Pedro Passos Coelho foi o mentor de uma Organização Não Governamental (ONG) concebida para obter financiamentos destinados a projectos de cooperação do interesse da empresa Tecnoforma, para a qual veio a trabalhar posteriormente, denuncia o jornal Público.
A organização, intitulada Centro Português para a Cooperação (CPPC) foi criada em 1996 com o intuito de beneficiar a empresa Tecnoforma e teve no actual líder do Executivo, que na altura era deputado a tempo inteiro, o seu principal impulsionador. Por sinal, em 2002 Passos Coelho tornou-se consultor dessa mesma empresa e em 2006 subiu mais uns degraus na hierarquia, até ao cargo de administrador.
Entre os seus membros desta ONG figuravam também outras figuras destacadas do PSD como Marques Mendes, Ângelo Correia, Vasco Rato, Júlio Castro Caldas.
Ao mesmo tempo, a passagem do primeiro-ministro pela instituição não consta dos seus currículos, nem tampouco do seu registo de interesses na Assembleia da República.
Refira-se, neste contexto, que a lei obriga os deputados, como era o caso à data, a inscreverem nesse registo todos os cargos sociais que desempenhem, sendo que, quando os cargos são ocupados depois do início da legislatura, como aconteceu com Passos Coelho (a legislatura começou em 1995), este deveria ter juntado aditamento à declaração inicial, o que não sucedeu.
Fonte Notícias Ao Minuto

Pedro, o facilitador!

passos relvasO ex-dono da Tecnoforma, antigo patrão de Passos Coelho, admite que criou uma ONG com o objectivo de candidatar projectos a financiamento comunitário, que depois teriam a participação da sua empresa. Passos abria “todas” as portas para estes negócios, garantiu à Sábado.
Fernando Madeira, que foi ouvido no final do ano passado pelo Ministério Público – no âmbito de uma investigação de projectos de formação profissional pagos à Tecnoforma com fundos comunitários -, conta à Revista Sábado que Passos Coelho era uma peça-chave naquele processo.
O ex-sócio maioritário da Tecnoforma refere que o actual primeiro-ministro chamou para fazer parte dos órgãos sociais do Centro Português para a Cooperação – uma organização não-governamental (ONG) financiada pela Tecnoforma – “pessoas com influência”, como o então líder parlamentar do PSD, Luís Marques Mendes, e os também social-democratas Ângelo Correia e Vasco Rato (nomeado recentemente pelo Governo para presidir à Fundação Luso-Americana). Fernando Sousa, na altura deputado do PS, e Eva Cabral (então jornalista do Diário de Noticias e actualmente assessora do primeiro-ministro) estiveram igualmente na fundação desta ONG.

Read more at http://www.leituras.eu/pedro-o-facilitador/#WfI8EwzoATgUQqPg.99 - See more at: http://www.leituras.eu/pedro-o-facilitador/#sthash.FBOm8HXm.dpuf



Sigam o rasto!
BrincaNareia

E encontrarão que a Tecnoforma era o próprio Farsola e o seu compincha Relvas.
Sigam o rasto e encontrarão desde a Tecnoforma o nome da mais recente mulher de Relvas, que servia de testa-de-ferro dando a cara pela empresa. Aliás,

mal Relvas ascendeu ao poleiro ela foi de imediato para o gabinete do 1º ministro.

E se seguirem bem a coisa, encontrarão a tal ONG que tinha por sede um antigo quarto alugado pelo Farsola, e destinada a executar os "estudos" que demonstravam a necessidade daquilo e daqueloutro, e que reunidos os fundos eram posteriormente entregues à Tecnoforma em perfeita triangulação com quem os conseguia no Governo: O Relvas.

O Farsola sempre viveu de expedientes e de tecnoformas maneira de ganhar a vidinha !!

E se vasculharem a alienação de património da SLN aquando da nacionalização do BPN, lá está de novo o Farsola metido em tudo o que seja falcatrua.

E a Visão de hoje informa:
"Chama-se WeBrand e é uma agência de publicidade que fez dezenas de campanhas do PSD. Por ela terão passado milhões subtraídos ao erário público em negócios polémicos e ilícitos. Uma história na mira da Polícia Judiciária e Procuradoria Geral da República que é também o retrato dos lóbis que atravessam as estruturas locais e nacionais do PSD e chegam ao Governo.

Ler mais: visao.sapo.pt/a-face-oculta-do-psd=f795744#ixzz3DfykAqO5


Acrescente-se ainda que....
(BrincaNareia
....mal foi divulgada a ligação do Farsola à Tecnoforma, este foi a correr, já indigitado 1º ministro a revogar uma procuração de plenos poderes de que era detentor da Tecnoforma, coisa de que ele disse estar afastado há 10 anos.
Ora, a dita procuração foi-lhe dada pela sujeita "dona" da Tecnoforma, que veio a fazer parte do seu Gabinete de 1º ministro e mais tarde mulher de Relvas. Aliás, mal se soube da triangulação desta gentinha, a sujeita foi dispensada do Gabinete do Farsola, dedicando-se então ao namoro do Relvas com quem veio a casar em grande festança, ao que parece com avião fretado para os amigos se deslocarem ao Brasil.

Tudo bons rapazes !!!




   Ex-toxicodependente, com várias desintoxicações
  feitas em Espanha, e com processos-crime por violência doméstica, por espancamento brutalmente da sua 1ª mulher, uma das cantoras do grupo musical conhecido, das ex-Doce, o que fez por cinco vezes, pelo menos, conforme consta, com queixas dos vizinhos por desacatos no prédio onde morava!...
NÃO OBSTANTE TUDO ISTO, EIS O SEU "INVEJÁVEL" CV:
Curricul
um do primeiro-ministro deste país....
Meus Amigos/as, algum de vós dava emprego (não estou a falar de trabalho!…) a alguém com esta “Carreira de Vida” (Curriculum Vitae [CV])!?...
Nome: Pedro Passos Coelho
Morada: Rua da Milharada – Massamá
Data de nascimento: 24 de Julho de 1964
Formação Académica: Licenciatura em Economia – Universidade Lusíada (concluída em 2001, com 37 anos de idade!)
Percurso profissional: Até 2004, apenas actividade partidária na JSD e PSD; a partir de 2004 (já com 40 anos de idade) passou a desempenhar vários cargos em empresas do amigo e companheiro de Partido, Engº Ângelo Correia, de quem foi diligente e dedicado ‘moço-de-fretes’, tais como:
(2007-2009) Administrador Executivo da Fomentinvest, SGPS, SA;
(2007-2009) Presidente da HLC Tejo,SA;
(2007-2009) Administrador Executivo da Fomentinvest;
(2007-2009) Administrador Não Executivo da Ecoambiente,SA;
(2005-2009) Presidente da Ribtejo, SA;
(2005-2007) Administrador Não Executivo da Tecnidata SGPS;
(2005-2007) Administrador Não Executivo da Adtech, SA;
(2004-2006) Director Financeiro da Fomentinvest, SGPS,SA;
(2004-2009) Administrador Delegado da Tejo Ambiente, SA;
(2004-2006) Administrador Financeiro da HLC Tejo, SA.
Este é o “magnífico” CV do homem que ‘teoricamente’ governa este País! 
Um homem que nunca soube o que era trabalhar até aos 37 anos de idade! Um homem que, mesmo sem ocupação profissional, só conseguiu terminar a Licenciatura (numa Universidade privada…) com 37 anos de idade!
Mais: um homem que, mesmo sem experiência de vida e de trabalho, conseguiu logo obter emprego como ADMINISTRADOR… em empresas de Ângelo Correia, “barão maçónico” do PSD, seu tutor e mentor político!... 
E que nesse universo continua a exercer funções!...
É ESTE O HOMEM QUE FALA DE “ESFORÇO” NA VIDA E DE“MÉRITO”!
É ESTE O HOMEM QUE PRETENDE DAR LIÇÕES DE VIDA A MILHARES DE TRABALHADORES DESTE PAÍS QUE NUNCA CHEGARÃO A ADMINISTRADORES DE EMPRESA ALGUMA, MAS QUE LABUTAM ARDUAMENTE HÁ MUITOS E MUITOS ANOS NAS SUAS EMPRESAS, TENTANDO ALIMENTAR AS SUAS FAMÍLIAS, TENTANDO SOBREVIVER, GANHANDO PARA ISSO, ORDENADOS DE MISÉRIA!
É ESTE O HOMEM QUE, EM TOM MORALISTA, FALA DE “BOYS” E DE “COMPADRIOS”, LOGO ELE QUE, COMO SE COMPROVA, NÃO PRECISOU DE “FAVORES” DE NINGUÉM… PARA ARRANJAR EMPREGO!...
EDIFICANTE… NÃO É?...
DIGAM LÁ… DAVAM EMPREGO A ALGUÉM COM ESTA ‘FOLHA DE SERVIÇOS?
Um belo exemplo... que nos governa e vem governando ainda.
Até quando?
E não é difamação, pois é a verdade (embora a tentem «branquear»)...    

Resposta ao Deputado Montenegro
Fazes bem o teu papel !!

Tal como fizeste aquando das tuas ligações ao panda-espião, aos aventais e à loja da música; tal como fizeste quando meia-laranja andou a interrogar-se "O que é a Ongoing !? O que é o BI !?"

Mas não nos tomes por parvo ao dizeres que os factos são os mesmos. São, mas acrescidos de muitos outros que, quando cruzados, coisa que a comunicação social se demite há muito de fazer em relação a alguns governantes desta governalha, podem bem ajudar a esclarecer como Relvas e Farsola montaram o polvo da Tecnoforma e das ONG's caseiras.
Tal como nunca cruzaram informações àcerca de um passado recente do Farsola ao outorgar escrituras falsas, ditas de favor, para que a SLN retirasse património da órbita de uma possível nacionalização daquela.

Da Tecnoforma, soube-se entretanto que "pertencia" a uma sujeita que deu em secretária do Relvas neste governo. Soube-se que foi dispensada mal rebentou a bronca. Soube-se que há 10 anos o Farsola era procurador de plenos poderes. Soube-se que o Farsola só foi a correr revogar a procuração recentemente, já ministro, quando a bronca estalou, quando começou a aparecer como dono da coisa. E soube-se o que a Helena Roseta contou. Achas pouco !?!   Por:  BrincaNareia 







O BANDO DOS GANGSTERS NA PARVALOREM

A Parvalorem é uma das três sociedades-veículo criadas para incinerar o lixo tóxico do BPN. A administração nomeada pelo Governo é composta por:

• Francisco Nogueira Leite, presidente, que acompanha o alegado primeiro-ministro desde os tempos da JSD — presidiu ao Conselho de Jurisdição da jota laranja —, tendo depois feito parte, com Passos Coelho, da administração da famosa Tecnoforma, que “está actualmente a ser investigada pelo Ministério Público e pelo gabinete antifraude da União Europeia por suspeitas de eventuais ilícitos na obtenção de financiamentos europeus” (http://www.publico.pt/economia/noticia/lourenco-soares-apresenta-queixacrime-contra-o-actual-presidente-da-parvalorem-1616189);

• Bruno Castro Henriques (http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/francisco_nogueira_leite_lidera_nova_administraccedilatildeo_das_sociedades_veiacuteculo_do_bpn.html), vogal, subdirector do Banco Efisa, que pertencia ao Grupo BPN;

• Paula Poças (ver link anterior), vogal, que foi assessora de Oliveira Costa, quando este presidia ao Grupo BPN.

A nomeação de Francisco Nogueira Leite para a Parvalorem foi precedida de uma atençãozinha por parte de Passos Coelho. O alegado primeiro-ministro incumbiu a Miss Swaps de exarar um despacho a classificar a Parvalorem como sendo uma empresa pública da “categoria B” para efeitos de remunerações de gestores públicos (ficando as outras duas sociedades-veículo — Parups, SA e da Parparticipadas SGPS — na categoria C). Assim, Nogueira Leite ficou a “a auferir 4159 euros mensais, acrescidos de 1663 euros mensais em despesas de representação, totalizando um salário bruto de 5822,61 euros por mês”. (http://www.esquerda.net/artigo/amigo-de-passos-nomeado-para-gerir-o-buraco-do-bpn/24969)

Neste contexto, e tendo em conta a experiência do presidente da Parvalorem na trafulha da formação de técnicos para aeródromos municipais abandonados (http://www.publico.pt/politica/noticia/empresa-de-que-passos-foi-gestor-dominou-fundo-gerido-por-relvas-1566221), podemos concluir que os Mirós estão em boas mãos? Quem põe as mãos no fogo... já que entre o passismo e o cavaquismo a diferença é nenhuma?

(infografia do Público)







Os tentáculos do POLVO chamado PSD
Foi apenas um discreto artigo do Público mais nada..
Em Domingo, 23 de Fevereiro de 2014 11:48, Vitor Manuel Pessanha
Como poderia o Relvas não estar no concelho nacional.Vejam só:
“1. A Tecnoforma, uma empresa de que Pedro Passos Coelho foi consultor e administrador, ficou com a parte de leão, na região Centro, de um programa de formação profissional — financiado por fundos europeus (programa Foral) — destinado a funcionários das autarquias, o qual era tutelado pelo Dr. Relvas, então secretário de Estado da Administração Local do Governo Barroso/Portas.
Os números são, de facto, esmagadores: só em 2003, 82% do valor das candidaturas aprovadas a empresas privadas na região Centro, no quadro do deste programa de formação profissional, coube à Tecnoforma. E entre 2002 e 2004, 63% do número de projectos aprovados a privados pelos responsáveis desse programa pertenciam à mesma empresa.
A história regista, entre outras, uma ideia de génio da Tecnoforma: a concepção de um programa de formação no valor de 1,2 milhões de euros para funcionários de aeródromos que estavam fechados, que eram pistas perdidas ou que tinham um ou mesmo nenhum funcionário.
Miguel Relvas era então o responsável político pelo programa, na qualidade de secretário de Estado da Administração Local de Durão Barroso, Paulo Pereira Coelho era o seu gestor na região Centro, Pedro Passos Coelho era consultor da Tecnoforma, João Luís Gonçalves era sócio e administrador da empresa, António Silva era seu director comercial e vereador da Câmara de Mangualde. Em comum todos tinham o facto de terem sido destacados dirigentes da JSD e, parte deles, deputados do PSD.
2. Entretanto, o mesmo Pedro Passos Coelho criou oCentro Português para a Cooperação, uma organização não-governamental (ONG) concebida para obter financiamentos destinados a projectos de cooperação que interessassem à Tecnoforma. Entre os seus membros figuravam Marques Mendes, Ângelo Correia, Vasco Rato, Júlio Castro Caldas e outras destacadas figuras do PSD.
3. Hoje, soube-se algo mais sobre o desgraçado programa Foral, então tutelado pelo Dr. Relvas. Quando apenas uma circular teria sido suficiente para que autarquias locais ávidas de dinheiro pudessem ficar informadas dos objectivos do programa, descobre-se que houve uma campanha de comunicação, no valor de quase 450 mil euros, adjudicada em 2002 a uma empresa de publicidade detida exclusivamente por Agostinho Branquinho (a NTM), antigo deputado do PSD e actual secretário de Estado da Segurança Social. José Pedro Aguiar-Branco, agora ministro da Defesa, tornou-se presidente da assembleia geral pouco depois da adjudicação.
A história vem descrita no Público (e reproduzida aqui). Entre outras peripécias do concurso, sabe-se agora que:
• Entre as cinco concorrentes excluídas por insuficiência financeira se encontrava a subsidiária de um gigante internacional que ocupava o terceiro lugar na lista das 30 maiores empresas de publicidade do mercado português, a McCann Erickson Portugal (52 milhões de euros facturados em 2001) e a Caixa Alta então em 16º lugar no mesmo ranking da Associação Portuguesa de Agências de Publicidade e Comunicação (13,6 milhões nesse ano), com volume de vendas muito superior ao da NTM (3,7 milhões), que nem constava do mencionado ranking;
• Após a selecção prévia das propostas, restaram três concorrentes, sendo que a NTM foi a que apresentou o preço mais alto e era a que, na avaliação do júri, tinha a mais baixa capacidade técnica.
Segundo o Público apurou, este processo foi conduzido pelo então chefe de gabinete, Paulo Nunes Coelho, e por uma adjunta, Susana Viseu, do Dr. Relvas. Enquanto Paulo Nunes Coelho continua a cirandar pelos gabinetes governamentais, Susana Viseu foi nomeada administradora da Fomentinvest, precisamente a holding onde o terrível Ângelo tinha acolhido Pedro Passos Coelho.
Já tivemos dois PSD: o do cavaquismo que desaguou na foz do BPN; e o do pós-cavaquismo que apodrece placidamente
num imenso delta. Afinal, o que é o PSD?”


«NUNCA TIVE NADA A VER COM ISSO E VEJO O MEU NOME ENVOLVIDO EM ALGO QUE NÃO CONHECI E NÃO DECIDI ?!»
- Miguel Relvas
«A "testemunha silenciada"» é o título de um trabalho publicado na última edição da Sábado. É sobre as peripécias em torno da Tecnoforma de Passos Coelho, mas com um ingrediente suplementar: o papel de Helena Belmar da Costa, que foi secretária pessoal do ex-Dr. Relvas, quando este era secretário de Estado de Barroso, e voltou a sê-lo com Passos Coelho, quando este tomou posse como alegado primeiro-ministro. Lê-se: «Alguns responsáveis social-democratas recordam-se de os ver juntos ainda nos tempos da Juventude Social Democrata (JSD). "Ela tratava por tu o Miguel Relvas e o primeiro-ministro. Era ela quem lhes fazia tudo", concretiza uma fonte do PSD. Um antigo membro da juventude partidária acrescenta: "Sempre foi a fiel escudeira dos dois."»
Acontece que Helena Belmar da Costa (1) foi sumariamente despedida do gabinete de Passos Coelho. Por coincidência ou não, o despedimento ocorreu quando o Público andava a esgaravatar as peripécias da Tecnoforma (2).
Ora estava Helena Belmar da Costa (3) no gabinete do Miguel Relvas quando ocorreram os factos do Programa Foral em investigação no caso Tecnoforma. Aparentemente, há quem esteja com os nervos em franja em São Bento: «“Ela foi despedida do gabinete do primeiro-ministro e agora pode ter dito as maiores loucuras ao Ministério Público e à Polícia Judiciária”, refere à Sábado, sob anonimato, uma fonte próxima do Governo.»
Se calhar, não é caso para menos. Segundo a revista, há dois processos autónomos que visam apurar eventuais indícios de crimes de corrupção e de tráfico de influências na atribuição de milhões de euros de fundos comunitários do Programa Foral, parte deles usados para pagar serviços, em 2003 e 2004, à empresa privada Tecnoforma, cujo consultor era então Pedro Passos Coelho (4). Uma investigação está limitada à extraordinária formação de técnicos de aeródromos e heliportos municipais. A outra é bem mais abrangente, porque inclui dezenas de outros projectos de formação profissional da Tecnoforma subsidiados pelo Programa Foral (5).
O ex-Dr. Relvas, que homologou a drenagem de fundos comunitários para a Tecnoforma, mostrou-se surpreendido quando a Sábado o questionou: «Nunca tive nada a ver com isso e vejo o meu nome envolvido em algo que não conheci e não decidi?!» A revista deveria saber que o ex-Dr. Relvas era, já nesse tempo, mais dado à «simplicidade da procura do conhecimento permanente» (6).

«NUNCA TIVE NADA A VER COM ISSO E VEJO O MEU NOME ENVOLVIDO EM ALGO QUE NÃO CONHECI E NÃO DECIDI ?!» 
- Miguel Relvas
 
«A "testemunha silenciada"» é o título de um trabalho publicado na última edição da Sábado. É sobre as peripécias em torno da Tecnoforma de Passos Coelho, mas com um ingrediente suplementar: o papel de Helena Belmar da Costa, que foi secretária pessoal do ex-Dr. Relvas, quando este era secretário de Estado de Barroso, e voltou a sê-lo com Passos Coelho, quando este tomou posse como alegado primeiro-ministro. Lê-se: «Alguns responsáveis social-democratas recordam-se de os ver juntos ainda nos tempos da Juventude Social Democrata (JSD). "Ela tratava por tu o Miguel Relvas e o primeiro-ministro. Era ela quem lhes fazia tudo", concretiza uma fonte do PSD. Um antigo membro da juventude partidária acrescenta: "Sempre foi a fiel escudeira dos dois."»

Acontece que Helena Belmar da Costa (1) foi sumariamente despedida do gabinete de Passos Coelho. Por coincidência ou não, o despedimento ocorreu quando o Público andava a esgaravatar as peripécias da Tecnoforma (2). 

Ora estava Helena Belmar da Costa (3) no gabinete do Miguel Relvas quando ocorreram os factos do Programa Foral em investigação no caso Tecnoforma. Aparentemente, há quem esteja com os nervos em franja em São Bento: «“Ela foi despedida do gabinete do primeiro-ministro e agora pode ter dito as maiores loucuras ao Ministério Público e à Polícia Judiciária”, refere à Sábado, sob anonimato, uma fonte próxima do Governo.»

Se calhar, não é caso para menos. Segundo a revista, há dois processos autónomos que visam apurar eventuais indícios de crimes de corrupção e de tráfico de influências na atribuição de milhões de euros de fundos comunitários do Programa Foral, parte deles usados para pagar serviços, em 2003 e 2004, à empresa privada Tecnoforma, cujo consultor era então Pedro Passos Coelho (4). Uma investigação está limitada à extraordinária formação de técnicos de aeródromos e heliportos municipais. A outra é bem mais abrangente, porque inclui dezenas de outros projectos de formação profissional da Tecnoforma subsidiados pelo Programa Foral (5).

O ex-Dr. Relvas, que homologou a drenagem de fundos comunitários para a Tecnoforma, mostrou-se surpreendido quando a Sábado o questionou: «Nunca tive nada a ver com isso e vejo o meu nome envolvido em algo que não conheci e não decidi?!» A revista deveria saber que o ex-Dr. Relvas era, já nesse tempo, mais dado à «simplicidade da procura do conhecimento permanente» (6). 

(1) http://dre.pt/pdf2sdip/2012/10/196000000/3380833808.pdf
(2) http://www.publico.pt/politica/noticia/empresa-de-que-passos-foi-gestor-dominou-fundo-gerido-por-relvas-1566221
(3) http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/saiu-por-abuso-de-confianca
(4) http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/empresa_em_que_passos_coelho_foi_gestor_esta_a_ser_investigada_pela_uniao_europeia.html
(5) http://www.publico.pt/multimedia/infografia/a-ligacao-da-tecnoforma-ao-foral-10
(6) http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=25&did=69902




A GOVERNANÇA DOS ESTAROLAS EM SEU PRÓPRIO PROVEITO:
- ASSIM VAI A LIPOASPIRAÇÃO DO ESTADO

1. O Governo extinguiu os governos civis. Agora, entrega uns milhões de euros (1), a um colaborador de Passos Coelho na Tecnoforma, para preservar o espólio.

2. O Governo anunciou há três anos a extinção da Empresa de Meios Aéreos (EMA), criada em 2007 para gerir as dez aeronaves do Estado adquiridas para o combate aos incêndios. O ministro Miguel Macedo explicou que a medida permitiria poupar cerca de 8 milhões de euros aos cofres do Estado. Quase três anos depois (2), a empresa não só ainda não foi extinta como gastou 10,9 milhões de euros na aquisição de bens e serviços.

(1) http://www.dn.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=4037830
(2) http://www.ionline.pt/artigos/portugal/anuncio-extincao-ema-ja-gastou-11-milhoes/pag/-1





















A GOVERNANÇA DOS ESTAROLAS EM SEU PRÓPRIO PROVEITO:
- ASSIM VAI A LIPOASPIRAÇÃO DO ESTADO

1. O Governo extinguiu os governos civis. Agora, entrega uns milhões de euros (1), a um colaborador de Passos Coelho na Tecnoforma, para preservar o espólio.

2. O Governo anunciou há três anos a extinção da Empresa de Meios Aéreos (EMA), criada em 2007 para gerir as dez aeronaves do Estado adquiridas para o combate aos incêndios. O ministro Miguel Macedo explicou que a medida permitiria poupar cerca de 8 milhões de euros aos cofres do Estado. Quase três anos depois (2), a empresa não só ainda não foi extinta como gastou 10,9 milhões de euros na aquisição de bens e serviços.

(1) http://www.dn.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=4037830
(2) http://www.ionline.pt/artigos/portugal/anuncio-extincao-ema-ja-gastou-11-milhoes/pag/-1





Passos Coelho a 45 já..... depois investiguem-o! (é assim que se faz, não é...?)
1- Passos Coelho batia, alegadamente, na ex-mulher (crime)
2-O comissário responsável pelo Fundo Social Europeu, Lászlo Andor, comunicou na passada sexta-feira à deputada europeia Ana Gomes, que o Gabinete de Luta Anti-fraude da União Europeia (OLAF) abriu no final do ano passado uma investigação acerca dos indícios de fraudes, revelados pelo PÚBLICO, relativos ao financiamento da empresa Tecnoforma e da organização não governamental (ONG) denominada Centro Português para a Cooperação, entidades que foram dirigidas por Pedro Passos Coelho.
3-Passos Coelho fugiu ao pagamento das contribuições para a segurança social — e foi a correr cumprir as suas obrigações quando soube que o Público iria relatar a fraude. Não sei se desta vez Cavaco lhe pode valer
1º M no mercado paralelo a fugir aos impostos?
Sendo público que o 1º M passou as férias numa casa alugada, na Manta Rota, no Algarve, vem hoje, a SÁBADO, no seu editorial a meditar no seguinte:
"O DIÁRIO DE NOTÍCIAS cometeu a ousadia de perguntar ao gabinete de Pedro Passos Coelho se o senhor primeiro-ministro se dera ao cuidado de pedir factura do aluguer da sua casa no Algarve. Visto que o aluguer sazonal de habitações de Verão é uma das formas habituais de fuga ao fisco, o DN achou a pergunta pertinente. Mas Pedro Passos Coelho considerou-a uma evidente violação do “foro privado”, porque “não estão em causa dinheiros públicos”.
Da próxima vez que um inspector das finanças lhe perguntar se negociou as obras de casa ou o arranjo do carro sem factura e sem IVA, já sabe o que deve responder."
5- Primeiro ministro com várias falhas de memória, não é condição para executar o cargo com a devida competência.
etc.... etc.... etc.....






Ex-diretor da Segurança Social acusa Passos Coelho de evasão contributiva

by As Minhas Leituras
Ex-diretor do Instituto da Segurança Social do governo Sócrates acusa primeiro-ministro de continuada evasão contributiva. Ao DN, Edmundo Martinho diz que Passos não pode alegar que desconhecia a lei. O ex-diretor do Instituto da Segurança Social acusa o primeiro-ministro de ter estado em situação de “continuada evasão contributiva” ao não pagar as contribuições para a […]








3 comentários:

  1. Faço uma sugestão ao "director2 do blog, não abuse nas cores porque dificulta e cansa a leitura. Sugiro, de forma positiva, que utilize preto e vermelho ou preto e azul, as segundas cores sugeridas como destaque, de outra forma a leitura perde-se.
    Cumprimentos e continuação de um bom blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato pela sugestão. O objectivo é fazer um Blog que não seja chato, mas agradável.

      Eliminar
    2. Obrigado por aceitar a sugestão sigo o blog e os seus comentários no expresso.!!!É bom haver pessoas a participarem em algo e manifestarem opiniões abertamente.

      Eliminar