quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Comentários de um chinês sobre a crise da Europa

Opinião de um professor chinês de economia, sobre a Europa - o Prof. 
Kuing Yamang, que viveu em França .

1. A sociedade  europeia está em vias de se autodestruir. O seu modelo  social é muito exigente em meios financeiros. Mas , ao mesmo tempo, os  europeus não querem trabalhar. Só três coisas lhes interessam:
lazer/entretenimento, ecologia e futebol na TV!  Vivem, portanto, bem  acima dos seus meios, porque é preciso pagar  estes sonhos ...

2. Os seus industriais deslocalizam-se porque não estão disponíveis  para suportar o custo de trabalho na Europa, os seu  impostos e taxas  para financiar a sua assistência generalizada.

3. Portanto endividam-se, vivem a crédito. Mas os seus filhos não  poderão pagar 'a conta'.
4. Os europeus destruíram, assim, a sua qualidade de vida   empobrecendo. Votam orçamentos sempre deficitários. Estão asfixiados  pela dívida e não poderão honrá-la.


5. Mas, para além de se endividar, têm outro vício: os seus governos  'sangram' os contribuintes. A Europa detém o recorde mundial da  pressão fiscal. É um verdadeiro 'inferno fiscal' para aqueles que criam
riqueza.

6.  Não compreenderam que não se produz riqueza dividindo e  partilhando, mas sim trabalhando. Porque quanto mais se reparte esta  riquez limitada menos há para cada um. Aqueles que produzem e criam
empregos são punidos por impostos e taxas e aqueles que não trabalham são encorajados por ajudas. É uma inversão de valores .

7. Portanto o seu sistema é perverso e vai implodir por esgotamento e  sufocação. A deslocalização da sua capacidade produtiva provoca o  abaixamento do seu nível de vida e o aumento do... da China!

8. Dentro de uma ou duas gerações, 'nós' (chineses) iremos ultrapassá-los. Eles tornar-se-ão os nossos pobres. Dar-lhes-emos sacos de arroz...

9. Existe um outro cancro na Europa: existem funcionários a mais,  um  emprego em cada cinco. Estes funcionários são sedentos de dinheiro  público, são de uma grande ineficácia, querem trabalhar o menos
possível e apesar das inúmeras vantagens e direitos sociais, estão  muitas vezes em greve. Mas os decisores acham que vale mais um  funcionário ineficaz do que um desempregado...

10. (Os europeus) vão diretos a um muro em alta velocidade...


A grande verdade, é que os EUA arrastaram todo o Ocidente, eles próprios e quase toda a Europa, para a situação em que se encontram.
Com a implementação do Liberalismo económico e sobretudo com a imposição do Comércio Livre, grande bandeira das Administrações Americanas, até à de Obama, foi imposto um modelo económico que de facto, dificilmente poderá suportar o Estado Social (os EUA verdadeiramente, nunca tiveram Estado Social).
É preciso retroceder, voltar de novo à Industria e Agricultura, não podemos viver só de Serviços, tem que se travar a China, abandonando o excesso de Liberalismo económico e voltando a impôr algumas restrições às importações, sobretudo de países que não cumprem as mais elementares regras das Convenções de Trabalho.




A China está a instalar uma “muralha de areia” no Mar da China meridional, nomeadamente junto às ilhas Sprateley que ultrapassam largamente as águas...
GUERRABLOG.BLOGS.SAPO.PT


Automóveis Fabricados na China                            Está a Acontecer!!!


" O esquema para nos esfolar. E ainda conseguem incutir sentimentos de culpa nos esfolados. - Gastaram além das suas possibilidades. "
Hervé Falciani, que revelou o esquema de evasão fiscal do banco suíço HSBC, explica como "sem o menor esforço" os bancos se podem enriquecer sem...
WWW.DN.PT|DE GLOBAL MEDIA GROUP

10 comentários:

  1. É caso para dizer que o Chinês não percebe é nada!!! Os empresários saíram da Europa para encontrar mão de obra barata e com isto obterem mais lucro! O grande problema é que a união europeia não colocou qualquer entrave a entrada de produtos feitos com mão de obra barata! Resultado, as multinacionais deslocaram-se todas para a China, Taiwan etc... onde os trabalhadores são escravizados fruto de ditaduras! Sei de quem foi à China visitar fábricas de brinquedos, e os chinenes trabalhavam quase 16h diárias e dormiam as outras 4/5 horas por debaixo da fábrica, numa espécie de anexos! Desculpa que lhe diga, mas esse Chinês é um grande aldrabão. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És tão burro que até enjoa, deves ter nascido com o rabo virado para o ceu, vive a realidade, a verdade foi tudo o que o chino disse: a maioria dos portugas nem merece um prato de sopa por dia, nao produzem sequer para respirar oxigénio, a par dos europeus nao passais de parasitas deste planeta, venham a africa e vejam o que custa viver seus inuteis, o futuro da europa está com certeza no ponto 8 e 10. Enfim ignorance its a bliss!

      Eliminar
  2. Desculpe, mas o que o senhor diz é o que diz o chinês e no fundo é o que aconteceu, o que está a acontecer e o que vai acontecer. A China vai passar a ser a maior economia Mundial já em 2016 ultrapassando os EUA.

    http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/11/china-2016-maior-economia-do-mundo.html

    http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/11/a-china-quer-as-lajes-ilha-terceira.html

    ResponderEliminar
  3. Já visitei vária fábricas na China em Pequim e em Xangai. Não é verdade que os Chineses trabalhem 16 horas por dia - trabalham 8 horas como os europeus. Um Engenheiro Electronico na China ganha cerca de 200 Euros. Não vi pessoas a passar fome. Vi pessoas a trabalhar durante a noite em estradas à luz de Lampadas. O nível de poluição é enorme. Há bons restaurantes na China. Não é verdade que comem ratos, cobras ou outras coisas assimm....

    Espero ter contribuido para esclarecer o que se passa na China...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda hoje José Eduardo dos Santos referia na televisão que a China estava a criar uma classe média, a fim de consumirem para fazer crescer a economia. Nós por cá fazemos precisamente o inverso.

      http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2012/10/austeridade-paul-krugman-acabar-com.html

      Eliminar
  4. parece-me que este senhor exagera em grande parte do que diz , contudo existem dois pontos da analise dele que de facto fazem todo o sentido : o ponto 6 e o ponto 9.....
    talvez esta crise sirva para mudar mentalidades e para que o povo perceba que as politicas sociais tal qual como sao aplicadas hoje em dia so funcionam enquanto o dinheiro dos « outros » durar ......

    ResponderEliminar
  5. Bonito, bonito era avisar as pessoas que esta personagem é fictícia. E que alguém escreveu este texto em forma de desabafo e lançou a fraude com quase 2 anos. Mas parece que ainda faz cair gente...

    http://www.bitaites.org/geekosfera/o-veneravel-professor-chines-e-um-bolo/

    ResponderEliminar
  6. Gosto especialmente do ponto 8. Já lá vão mais 20 anos que digo que nós Europeus vamos trabalhar para comer bagos de arroz. Já nessa altura a falência do Estado Social Europeu era abordada na Universidade em algumas disciplinas da área de sociologia. O tempo só o veio confirmar... A história universal é feita de civilizações que apareceram, cresceram, atingiram a maturidade e declinaram. A Europa já passou a fase da maturidade. A China está na fase de crescimento e afirmação. Quer se goste do seu modelo de desenvolvimento ou não, eles são o futuro para qual nós europeus tanto contribuimos com a política de desvalorização do factor trabalho em detrimento do factor capital.

    Só nos resta recomeçar novamente a valorizar o nosso capital humano e a trabalhar para reformular a base de uma nova ordem europeia onde o Homem tenha novamente um papel mais central.

    Preparar os nossos filhos para serem cidadãos globais nunca teve tanta importância como hoje, mas talvez seja melhor juntar o ensino do mandarim ao do ingês nas escolas!

    ResponderEliminar
  7. É falso gente, coisa da extrema direita francesa.
    http://aventar.eu/2011/11/05/kuing-yamang-o-professor-chines-que-enganou-maximiano-martins/

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar