sábado, 6 de maio de 2017

Governo de Sócrates/Passos







                                      Foto de Rui Madeira.


"O PSD e o CDS-PP chamaram a TROIKA.
António Lobo Xavier disse na noite desta quinta feira que a entrada da troika em Portugal resultou da pressão exercida pelo PSD e pelo CDS".

O PSD e o CDS-PP chamaram a TROIKA. António Lobo Xavier disse na noite desta quinta feira que a entrada da troika em Portugal resultou da pressão exercida pe...


   




"O PSD e o CDS-PP chamaram a TROIKA.
António Lobo Xavier disse na noite desta quinta feira que a entrada da troika em Portugal resultou da pressão exercida pelo PSD e pelo CDS"

O PSD e o CDS-PP chamaram a TROIKA. António Lobo Xavier disse na noite desta quinta feira que a entrada da troika em Portugal resultou da pressão exercida pe...
YOUTUBE.COM



As mentiras que quase viraram verdade.

Mentiras:
1 - Sócrates levou o País à bancarrora.
2 - Sócrates Chamou a Troika.
3 - Já não havia dinheiro para pagar salários e pensões.

Verdades:
1 - Quem levou o País à bancarrota e a Europa, Grécia, Irlanda, Islândia, Chipre etc., foi a crise Internacional e a ganância da Banca, tal como aconteceu na Grande Depressão de 1929. ( Prof. Viriato Soromenho Marques, além de muitos mais.)
2 - A vinda da Troika foi por pressão do PSD/CDS e banca. ( Palavras de Lobo Xavier e Pacheco Pereira.) (Chumbo do PEC IV, já acordado por Bruxelas). Cito de memória o Sócrates: tinha havido um compromisso para que Portugal e Espanha fossem poupados a resgates.

https://www.youtube.com/watch?v=1y8uNhZzjvo
https://www.youtube.com/wat...
https://www.youtube.com/wat...
3 - O dinheiro da Troika foi para pagar aos Bancos Alemães e Franceses. É mentira que não havia dinheiro para pagar salários e pensões. (Palavras de Prof. Economia Castro Caldas, Paul de Grauwe, Conselheiro económico de Durão Barroso, Harald Schumann, jornalista alemão etc..) ( A dívida passou para a Banca Portuguesa e Segurança Social).




«O VELHO SONHO DE JOSÉ SÓCRATES»
"(...) muito do que se exporta deixa pouco valor acrescentado na economia. (...) Arrefecida que está a expectativa de, a curto prazo, tornar o país num exportador de bens com alto valor de incorporação tecnológica, o velho sonho de José Sócrates, Portugal depende de bens tradicionais (...). O país dificilmente dará um salto se não for capaz de canalizar os recursos de que dispõe na área da ciência e da tecnologia para a economia produtiva" (Editorial de hoje do Público).   
http://viriatoapedrada.blogspot.pt/2013/03/as-reformas-de-socrates-em-6-anos.html




José Sócrates foi diferente. Com a sua governação Portugal adquiriu valioso património cultural e científico, as nossas escolas públicas incomodaram os mercenários do ensino privado, a mediocridade que campeia em muitos setores sentiu-se ameaçada, as crianças começaram a aprender inglês no ensino básico, para terem, pelo menos, ao longo do seu percurso escolar, 10 a 12 anos desta língua universal, instrumento fundamental para a nossa economia, a ciência deu um enorme pulo em frente, nas novas gerações surgem novas e modernas elites que incomodaram o bolor, o reumático e o reacionarismo das velhas elites alapadas no Estado, Portugal ganhou estatuto internacional pelas coisas mais positivas.
Tivesse o PEC IV sido aprovado e os portugueses, passando, é certo, por dificuldades, teriam prosseguido na senda do progresso. Não é por acaso que os actuais governantes são forçados a agarrarem-se às políticas desenvolvidas pelos governos de José Sócrates para conseguirem algum falso brilho.
Nos governos de José Sócrates havia inteligência, responsabilidade, competência, sentido de Estado, respeito pela democracia e uma grande ambição relativamente ao futuro.
Mas os fermentos que lançou farão, mais tarde ou cedo, levedar um progresso efectivo para as novas gerações.
José Sócrates foi um Diamante que apareceu na vida política portuguesa.
Abri os olhos, assumam o vosso dever de zelar pelos interesses da pátria e dos vossos descendentes e concluirão que José Sócrates ergueu a bandeira do futuro. Que devemos prosseguir.
As futuras gerações vão chamar um figo a todas as iniciativas tomadas pelos governos de José Sócrates e ainda lamentarão não se ter implementado o TGV, novo Aeroporto, etc.. Um maná do céu para elas. Por: Finito

O ódio a Sócrates
Se não sabem eu explico, porque é que a direita fica azeda e odeia tanto José Sócrates. Experimentem introduzir um cavalo num curral cheio de burros e vão ver que todos o mordem e escoiçam. A inveja e a frustração de saber que nunca chegarão a cavalos provoca ódios e raivas. Enquanto uns ficam frustrados e raivosos, há outros que ainda dizem que aquele burro é esquisito, pois nem percebem que se trata não de um burro, mas dum cavalo.


                          



QUANDO OS NÚMEROS SÃO OFICIAIS NÃO OS DISCUTO.
Aprende a ler e consulta o INE e o BdP.
Dezembro/2011-108,2% do PIB;
2012-124,1% do PIB;
2013-129,0% do PIB;
Março/2014-132,4% do PIB
Fonte: Boletim Estatístico do Banco de Portugal, 2010 a Maio de 2014.
E agora, talvez uns 135% do PIB....
Comparação PIB/Dívida direta do Estado. Portugal empobrece, dívida aumenta.
Produto Interno Bruto (PIB)
José Sócrates: 171 126 milhões de euros (junho 2011)
Passos Coelho: 165 379 milhões de euros (2013)
Dívida direta do Estado
José Sócrates: 172 393 milhões de euros (junho 2011)
Passos Coelho: 204 252 milhões de euros
Fonte: 
IGCP e INE
12 de fevereiro de 2014.


2015 - Dívida pública líquida 121.6% PIB
2016 - Dívida pública líquida 121.1% PIB

Opinião de Santana Lopes Sobre Sócrates
P. Sócrates foi um reformista?
R. Foi um primeiro-ministro com visão em várias áreas. Ele era vários deuses ao mesmo tempo, depois caiu em desgraça e passou a ser o culpado de tudo. Isso é caricato. Ele foi um primeiro-ministro com várias qualidades, um chefe de Governo com autoridade e capaz de impor a disciplina no seio do seu Governo. Entrevista a Santana Lopes. Até tu Santana.
Por: Bárbara Reis e Margarida Gomes/ P/16/ 03/ 2014




Segundo o CM, insuspeito de simpatia com Sócrates, o ex-PM do PS deixou a 31 de Maio de 2011 uma dívida pública de 164.384 milhões de euros, a qual subiu para 224.155 milhões de euros a 31 de Maio de 2015.Em quatro anos, a dívida aumentou em 59,9 mil milhões de euros, o que dá o extraordinário valor de 14,9 mil milhões por ano, 40,95 milhões de euros por dia ou 1,7 milhões de euros por hora.
Paulo Portas diz que deixou a "casa arrumada" com o crescimento da dívida em 1,7 milhões por hora.
Por cada português, Sócrates deixou uma dívida de 15.650 euros e a Coligação atingiu a 31 de Maio o valor de 21.350 euros.
Para que serviram os aumentos de impostos, os cortes de salários e pensões? e a ausência de obras? " Já agora digo eu o CM esqueceu a venda das Jóias da Coroa EDP,REN, ANA, TAP, CTT, CGD SAÚDE, SEGUROS etc. etc.




                                         

Silva Peneda (PSD) Eu defendo a erradicação deste PSD , adulterado por Passos, Relvas, Marco António, Marilú e Cavaco no mínimo por 1 Milénio.
VALEU A PENA? O GOVERNO PSD/CDS/PASSOS/PORTAS!!!!!!!
Corte de pensões;
Brutal aumento de impostos;
Degradação dos serviços públicos;
Cortes nos apoios sociais;
Cortes de salários;
Privatizações;
Aumento da dívida pública;
Dívida em 2011 - 184.699 mil milhões - 94% PIB
Dívida em 2015 - 290.000 mil milhões -135% PIB
Défice em 2011 - 7,4%
Défice em 2014 - 7,2%
SE OS QUE EMIGRARAM CÁ TIVESSEM FICADO, O DESEMPREGO REAL SERIA, SEGUNDO O CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA, DE 29%.
As Contas do Desemprego - 2015 (Mas sem "Tretas")
620.400 - desempregados oficiais
+242.900 desencorajados
+242.800 subempregados
+158.000 ocupados IEFP
+ 450.000 emigrados
1. 714. 100 Desempregados reais 29%.
Governo Passos/Portas Recuámos
10 anos na riqueza produzida
20 anos no emprego
30 anos no investimento
40 na emigração.


Andamos a viver acima das nossas possibilidades? Dizer que os portugueses e o país viveram durante muito tempo acima das suas possibilidades foi a justificação oficial para a implementação de sucessivos planos de austeridade. Diziam que...
ESQUERDAALTERNATIVA.BLOCO.ORG


No essencial Portugal não mudou nada em oito séculos de existência.
Vários séculos passados e Portugal com as mesmas mentalidades de gente perigosa e mesquinha de horizontes tão estreitos. Hoje mais claro do que nunca, há séculos que é assim na nossa Pátria: os donos dela dizimam os melhores, para garantir o seu sossego. O mais antigo é o ínclito infante D. Pedro, o príncipe das sete partidas que foi duque de Coimbra. Saiu de Portugal na Idade Média, viajou pela Europa e regressou um espírito moderno. A fidalguia que cercava um rei-criança atraiu-o a Alfarrobeira e liquidou-o. Vem depois o Damião de Góis. Letrado humanista e reformado, serve o rei em múltiplos lugares da Europa, conhece Lutero e Melanchton, hospeda-se em Erasmo. A Inquisição condena-o por heresia, vitima-o em Alenquer. Marquês de Pombal, repito, não vale a pena falar. Foi um sanguinário déspota formado na Europa, que esquartejou os Távoras no Beco do Chão Salgado. Uma única pergunta subsiste: no seu tempo, que poderia fazer pela Pátria um ministro iluminado, sem antes partir os dentes à aristocracia indígena??! Depois da morte do rei, os parasitas duma rainha louca destruíram-no aos poucos, anularam-lhe o legado. Outros exemplos não faltam, para vergonha e desgraça da Pátria. A forma das coisas muda, a essência permanece. José Sócrates está aí para o demonstrar.

Já que o PS não defende o passado governativo do PS, e não combate a Fabula da Bancarrota Socialista que tantos proveitos tem dado à Direita … DEFENDO EU !
Ainda me lembro que em Junho de 2011 o deficit foi de 7,7%, (segundo o mesmo método de avaliação, SEC95, herdado do governo PSD em 2005, que registou um deficit 6,1% numa altura em que nem havia crise), e não 11,2% como a Direita pretende atribuir a Sócrates.
Antonio Guterres, foi o único governante que fez descer a Divida ao fim duma legislatura.
Portugal foi o único país europeu que em 2009 estava a crescer 1,9% em plena crise
As desigualdades diminuíram entre 2005/2007, pela primeira vez na 1ª decada
Portugal foi um dos países que menos fez crescer a Divida entre 2007/2010
Portugal nos anos pré crise 2005/2006/2007 fez crescer a Divida em APENAS 1% … OUVIRAM BEM … 1% apenas
A Divida em Junho de 2011, quando o PAF/PSD/CDS tomou posse, estava em 96,9%, e em Maio de 2014, já estava em 135%, mais 38% em APENAS 3 anos
Os juros chegaram aos 18%, em 2012.
A gasolina chegou a 1,75€ em 2012
Portugal registou a maior recessão deste século, com 4,03%, em 2012.
Portugal pela primeira vez foi alvo de sanções por deficit excessivo em 2015.
Contrariando outra fabula da Direita dum pretenso despesismo de Sócrates, as contas de Bagão Félix, vieram dizer que afinal o PSD deixou maiores encargos com as PPPs do que deixou Socrates, para o governo seguinte.
Ah, e lembro-me também que em 2007 foi um governo socialista que tirou Portugal do deficit excessivo que herdou do governo PSD, em 2005, e também me lembro que foi outro governo socialista que em 2017 tirou Portugal do deficit excessivo PAF/PSD de 2015
Finalmente quanto à ficção das 3 Bancarrotas socialistas seria bom que o PS fizesse lembrar à Direita, que ;
- "A 1ª foi em resultado do PREC de extrema-esquerda em que muitos se piraram para Espanha e Brasil, deixando os socialistas a aguentarem e a acantonar guerrilheiros, deixando o caminho livre para o regresso dessa Direita recuperar dos seus bens.
Quem pediu ajuda ao FMI foi o 1º governo constitucional, liderado por Mário Soares pouco tempo depois de ter tomado posse, onde era também ministro o Prof. Mota Pinto, fundador do PSD e seu futuro presidente. Ah, e também fazia parte desse governo o inefável crítico de tudo e mais alguma coisa, de seu nome Medina Carreira ... quanto à primeira bancarrota estamos conversados"

- "A pretensa 2ª “bancarrota socialista” é de 1983. Foi o governo do chamado “bloco central” (uma coligação formal do PS e do PSD) que fez o novo acordo com o FMI dois meses depois de Mario Soares ter tomado posse. A realidade económica que a isso obrigou foi criada durante o governo anterior, o segundo governo da chamada “Aliança Democrática”, cujas principais forças eram o PSD e o CDS, com Pinto Balsemão como primeiro-ministro. Ministros das finanças da AD? Cavaco Silva, primeiro; João Salgueiro, depois. Esses governos da AD deixaram o défice da balança comercial em 10% do PIB, o desemprego acima dos 11% e a dívida externa em estado de alerta. Portanto"... quanto à segunda “bancarrota socialista”, também estamos conversados.

- "A 3ª bancarrota, porque sim, porque apeteceu a alguém, porque apeteceu ao PSD, porque Portugal era o único que estava a crescer em plena crise, porque Portugal foi o único a quem aconteceu, e até, porque crise mundial só mesmo desde Junho de 2011 !! " ... em relação à terceira conversados ficamos. Por: António DOliveira.



Paulo Rangel, cabeça de lista da Aliança Portugal (PSD/CDS-PP) às eleições europeias de 25 de maio, desafiou hoje o PS a reconhecer os erros políticos...
DNOTICIAS.PT



Troika injectou 78 mil milhões de euros, bancos portugueses receberam 86 mil milhões de euros em ajudas públicas
LUSOPT.PT




Sem comentários:

Enviar um comentário